Ambiente de Mercado - Aulas Abertas

Nas aulas você tem contato com uma série de informações relevantes para a vida profissional, e ainda pode tirar algumas dúvidas com o mestre no final.

O Direito na cadeia produtiva do Audiovisual

A Oficina irá passear por toda a cadeia produtiva do audiovisual, desde o desenvolvimento da Obra até a sua comercialização, identificando os direitos envolvidos em cada uma dessas fases: Desenvolvimento : Quais Direitos precisam ser negociados para se dar início à produção? (Direitos de Autoria do Argumento. Direitos de Adaptação de Obra Derivada. Direitos de Personalidade de Retratados (cinebiografias). Direitos Patrimoniais dos Produtores. Direitos de Co-produtores Internacionais. Direitos dos Investidores.); Produção (pré, filmagem e pós): Quais os cuidados que deve ter o Produtor ao executar, como organizador, uma obra coletiva? e Comercialização : Quais os modelos de negócios envolvendo a comercialização das Obras?

O público-alvo do curso está identificado dentre produtores audiovisuais, advogados e todo o corpo técnico e artístico de uma obra audiovisual, cujos direitos perpassa pela cadeia produtiva.



Paula Tupinambá

Bacharel em Direito pela Universidade Federal Fluminense; Inscrita na OAB/RJ sob o n° 116.185. Pós-graduanda em Direito da Propriedade Intelectual pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio). Sócia fundadora do escritório Pougy Tupinambá. Membro da Comissão de Direitos Autorais, Imateriais e do Entretenimento da OAB/RJ desde 2015, atua junto à indústria do Audiovisual e das artes em gerais, agregando o conhecimento em Direitos Autorais à experiência de negociação adquirida com mais de 10 anos no Mercado Financeiro e de Capitais. Trabalhou em departamentos jurídicos de Bancos nacionais e estrangeiros, operando o societário de empresas e fundos de investimentos, além das áreas de compliance e governança corporativa. Conectada com as novas formas de comunicação pública de obras protegidas desde 2006, participou do processo de criação da primeira webrádio brasileira. Em 2013 iniciou-se na Produção Executiva do longa-metragem documental “O Deserto do Deserto”, do Diretor Samir Abujamra, fazendo inclusive a distribuição do filme, que alcançou 7 praças, Canal Brasil e está agora na plataforma de VOD do NOW.

Tudo o que Você Sempre Quis Saber Sobre TV (Mas Tinha Medo de Perguntar) com Krishna Mahon

Não bastasse os mais de 25 anos de TV, diversos prêmios nacionais e internacionais, além da criação de grandes sucessos de audiência, Krishna Mahon, criadora da Imprensa Mahon, vai responder todas as suas dúvidas: como entrar para o mundo da TV? Como saber o que os canais estão buscando? O que incluir num email de apresentação de projeto? Os canais recebem roteiristas?  

Não é exagero nem sensacionalismo dizer que a Imprensa Mahon é o maior canal de conteúdo sobre produção audiovisual do país, com mais de 7 mil inscritos e altíssimo engajamento. 

A instituição sem fins lucrativos queria democratizar o acesso à informação, mas em um mercado tão competitivo e com executivos aparentemente inacessíveis parecia ficção. Só que, com paciência e bom humor de sobra, toda semana Krishna Mahon, vem provando que não é. Ela entrevista executivos de canais de TV, roteiristas de sucesso, donos de produtoras, distribuidoras e profissionais experientes de todas as áreas da TV e do cinema. 

Ao apostar na capacitação profissional de estudantes e produtores iniciantes, cada vídeo é um incentivo a mulheres, negros e profissionais vindos de territórios populares a trilharem os caminhos desta indústria.

Ajude a construir um mercado mais qualificado, diversificado e justo divulgando a Imprensa Mahon e prepare as perguntas para o painel. 

Link para canal no YouTube - youtube.com/c/ImprensaMahon E página do Facebook https://www.facebook.com/ImprensaMahon/



Krishna Mahon

Em mais de 20 anos de TV, participou da criação de diversas séries como: Gigantes do Brasil, primeira série dramatúrgica do History, aumentou sua audiência em mais de 50% nos dois dias de exibição, colocando o canal bem acima da concorrência, além de aumentar o ATS (que revela o engajamento do público) em 25% no sábado e 61% no domingo. O site do programa foi o mais acessado de todos do canal: 49% e os vídeos foram os mais vistos do site: 33,5%. O Infiltrado, indicada ao Emmy Internacional em 2014 e vencedora do APCA. History Drink, atualmente na terceira temporada. Até Que a Morte Nos Separe, série sobre crimes passionais desenvolvida com a Pródigo, ganhadora de um Promax, aumentou a audiência do A&E em 250% na estreia, em 2012 e na segunda temporada repetiu o sucesso não saindo do top 3 do canal desde sua estreia em setembro de 2015. Coproduziu com a Zeppelin a série Caos e produziu a versão brasileira da série Intervenção para o A&E, ganhadora do Emmy de melhor série reality. Trabalhou na Mixer de 2007 a 2010. Em 2008, produziu para o Discovery Channel, os programas Soluções Para o Trânsito (indicado ao Emmy Internacional) e Chico Mendes o Preço da Floresta. Foi produtora executiva do Chave da Casa, finalista do festival É Tudo Verdade em 2009, exibido pela TV Cultura. Trabalhou para a Discovery Networks durante 6 anos no departamento de produção original, onde filtrou ideias de produção e acompanhou documentários e séries para todos os canais do grupo.

Estudo de Caso "Lama dos Dias" Trilha sonora com DJ Dolores

A série Lama dos Dias, do diretor Hilton Lacerda, será lançada na Sessão Ambiente de Mercado no dia 19/9 as 18h, no Cinema Marco Antônio Guimarães (Espaço Cultural Renato Russo). DJ Dolores, assina a trilha sonora da série e vem compartilhar essa experiência no Ambiente Mercado.



Helder Aragão

Dj Dolores  - Helder Melo é produtor e compositor, assinou remixes oficiais para Chico Buarque, Gilberto Gil, Bob Marley, Tribalistas, entre outros. É autor de trilhas para vários filmes, entre eles, Tatuagem,O Som ao Redor, Narradores de Javé e Big jato. Em seu currículo, um BBC Awards, dois Grandes Prêmio da Música Brasileira, bem como premiação em festivais como Gramado e Brasília.

Teoria de Série com Julia Priolli

Em entrevista ao jornal espanhol El Pais, logo após a cerimônia que lhe conferiu um Nobel de Literatura, o escritor peruano Mario Vargas Llosa declarou que os grandes cronistas do século 21 são os roteiristas de série. A Era de Ouro da televisão americana, iniciada com Família Sopranos, gerou verdadeiras obras primas, de imensa apreciação popular, superando o que vem sendo produzido na indústria cinematográfica e sendo equiparadas aos grandes clássicos da literatura mundial.

Personagens amorais, multifacetados, disfuncionais, tão distantes dos heróis dos melodramas clássicos conquistaram o mundo e criaram uma nova forma de se apreciar a história. Como se criam estes personagens? Qual a engenharia por trás de universos complexos e apocalípticos como de Walking Dead, The Hands Made Tale e Lost? Como são estabelecidas as estruturas das narrativas seriadas para subvertê-las em seguida? Qual o conflito central de personagens complexos como Walter White, Offred e Tony Soprano?  

O Brasil vem criando sua própria safra de protagonistas anti-heróis um tanto tardiamente, uma vez que, com o advento da primavera feminista, as premissas mais premiadas do mundo tem como protagonistas mulheres em situações de vulnerabilidade absoluta. Hands Made Tale e Big Little Lies revelam uma mudança paradigmática, e convidam o espectador, não mais a se ver nos pés de um mafioso em crise, mas no corpo de uma mulher que é violentada e espancada a cada episódio. Seriam heroínas perfeitas de melodrama, não fossem as infinitas camadas dessas personagens que geram conflitos para um manancial interminável de histórias.

 

A proposta dessa Master Class é oferecer respostas às perguntas dessa natureza e apresentar os fundamentos da dramaturgia clássica, expondo como ela evolui até as séries de televisão da contemporaneidade.

1. Premissa: Diferença entre premissa de longa e premissa de série.

2. Conflito Central

3. Universo, Motor e personagem

4. Gêneros das séries:

4.1: DRAMA

- Drama de 1 hora :

High Concept ( Homeland, Um contra Todos, #mechamadebruna. Walking Dead)

Low Concept (Atlanta, Weeds, Californication)

 

4.2: COMÉDIA

- sitcom clássica

- sitcom de uma câmera:

- Mocumentary/ desenhos adultos e infantis

4.3- Procedurais : dramas jurídicos, médicos e policiais.

5. Estrutura:

-Desmontando os episódios em tramas A, B e C ( A quem pertence cada história?)

6. Metodologia: Análise de trechos de episódios



Júlia Priolli

Roteirista de televisão com especialização em Columbia University, Julia é gerente de conteúdo original no Canal FOX, responsável pela supervisão de roteiro das séries Impuros, Um Contra Todo e #Me Chama de Bruna. É consultora dos Laboratórios de Desenvolvimento de Projeto de Séries do Prodav 04, organizados pela  Klaxon Cultura Audiovisual para ANCINE. Como consultora, atua também no prêmio Netlab TV. Como roteirista, trabalhou  nas produtoras o2, Bossa Nova e Primo Filmes e escreveu roteiros das séries Lili a Ex, Tempero Secreto e De Perto Ninguém é Normal, para o canal GNT. Finalista do prêmio Netlab TV em 2014, com a comédia política O Filho da Pátria, ficou entre os 8 melhores roteiros de mais de mil concorrentes.  Julia atua na formação do mercado audiovisual, como idealizadora e organizadora de diversos laboratórios de roteiro com professores de Columbia University e NYU, como Alan Kingsberg, Joe Cacaci e Robin Epstein. Em 2014 produziu os workshops e direção e roteiro de Dan Attias, diretor de Homeland, Sopranos, The Wire, e The Killing,  e de David Zabel, showrunner da série ER - Plantão Médico.

Desenvolvimento de Projetos e Técnicas de “Pitching”

Aula Aberta de Desenvolvimento de Projetos e técnicas de “Pitching”. Formatação e Venda de um projeto audiovisual, dos festivais e mercados nacionais e internacionais ao Fundo Setorial e rodadas de negócios. Como comunicar as suas ideias e viabilizar o seu pacote criativo para canais de TV e VOD, coprodutores, editais, distribuidores e agentes de vendas.



Victor Lopes

Victor Lopes é Diretor, Roteirista, e Produtor de Cinema e TV. Dirigiu o curta- metragem “Bala Perdida” e os longas “Língua”, “Eliezer Batista”, “As Aventuras de Agamenon, O Repórter”, “Serra Pelada, A lenda da Montanha de Ouro” e “Betinho, A Esperança Equilibrista”, vencedores de 34 prêmios nacionais e internacionais com 1 000 000 de espectadores. Na Televisão, dirigiu séries e programas para Canal Plus, History Channel, Arte-France, GNT, Multishow, Futura, e Rede Globo. Lopes atua também como professor e consultor na área de Desenvolvimento de Projetos e Pitching. Lecionou na FGV e PUC, e participa da formatação e venda de produções audiovisuais para Cinema, Televisão e Internet em diversos festivais e mercados, como o RioContentMarket, FRAPA e NetLab, entre outros. Em 2015 funda a Faro Formatos, produtora de conteúdo e propriedade intelectual para o mercado audiovisual.

Por que fazer co-produção nacional? com Mari Brasil.

Por que fazer uma co produção, o que significa esta parceria e como negociar e dividir competências. 

Vamos trocar experiências e modelos de negócios que podem ser feitos durante uma co produção, não há uma regra única, mas debater este tema ajuda a pensarmos melhores formatos de negócios



Mari Brasil

Há 24 anos no mercado de produção independente, sendo que há 12 atua na área de produções para TV, tanto em produtoras como em um canal com participação em mais de 70 obras produzidas para TV.

Desde 2012 é sócia da empresa mari brasil que faz consultoria e ministra cursos na área de produção executiva com foco em desenvolvimento de projetos para TV.  Atendeu mais de 1000 alunos e produtores independentes em todo o Brasil.

Trabalha com diversas instituições, entre elas:  Centro Cultural Barco em SP,  Ancine, AIC, Instituto Itau Cultural SP, ABPITV, APRO/Sebrae,  Instituto Icuman em Goiania, FAAP – Pós graduação RTV, Faculdade de Comunicação de Salto – Itu, Porto Digital/Porto Mídia – PE, Instituto Cultural Dragão do Mar – CE, Festival de Cinema do RJ, Festival de Cinema de BH, Fundação Roquete Pinto, Fundaj – PE entre outros.

Em 2017 criou com mais 3 produtoras um coletivo de executivas chamado c/as4atro, onde juntas administram as consultorias e vários cursos para o setor. Saiba mais www.as4atro.com.br

O papel da Writers Guild of America no elo de produção audiovisual norte-americano.

.



Aaron Mendelsohn

Aaron has been a working screenwriter for over twenty-five years.  He is best known for co-creating and writing the successful AIR BUD family film franchise for Disney. Current projects include BAD MEDICINE at ITV America, PRINCES at Warner Bros and TOTEMS at Sesame Workshop and Apple.  In addition to his writing, Aaron is the Secretary-Treasurer of the Writers Guild of America West and a Professor of Screenwriting at Loyola-Marymount University in Los Angeles.  He has taught screenwriting classes around the world and recently wrote a book, The 11 Fundamental Questions: A Guide to a Better Screenplay, about his successful story-breaking technique.