Mostras Competitivas do Festival de Brasília destacam a diversidade da produção cinematográfica brasileira

 

 

 

DESTAQUE

Mostras Competitivas do Festival de Brasília destacam a diversidade da produção cinematográfica brasileira

 

Dos 724 filmes inscritos para as mostras, nove longas e 12 curtas-metragens concorrem na 51a edição do Festival

 

FOTOS NO LINK: https://goo.gl/PHfjrS

 

Nove longas e 12 curtas-metragens de seis estados brasileiros e do Distrito Federal concorrem nas principais mostras do 51º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro: a Competitiva – Longas e a Competitiva – Curtas. As Mostras Competitivas receberam 724 inscrições em 2018, das quais 632 foram homologadas, e 21 filmes escolhidos para disputar o Troféu Candango, um dos prêmios fundamentais do cinema nacional.

 

Entre os títulos que serão exibidos entre 14 a 23 de setembro, registram-se obras da Bahia, do Ceará, Distrito Federal, de Minas Gerais, Pernambuco, do Rio de Janeiro e de São Paulo. Os filmes paulistas aparecem em maior número, métrica percebida no período de inscrições abertas do Festival. Entre os 160 inscritos do estado, sete concorrem na Mostra Competitiva, sendo que um deles é coprodução com o Rio de Janeiro e o outro filme figura como coprodução entre São Paulo, Colômbia e França.

 

Fato notório da cadeia produtiva do cinema nacional, as produções pernambucanas garantiram mais uma vez seu espaço na programação do Festival e contam com quatro representantes. Minas Gerais e Rio de Janeiro contam com três obras na exibição, seguidos pelo Distrito Federal com duas obras, e da Bahia e Ceará, com uma cada.

 

Os gêneros de ficção e documentário são maioria na lista de filmes da Mostra Competitiva, que conta com apenas uma animação. Entre os longas que concorrem ao Troféu Candango, “Torre Das Donzelas”, de Susanna Lira (RJ); “Bixa Travesty”, de Claudia Priscilla e Kiko Goifman (SP); e “Bloqueio”, de Quentin Delaroche e Victória Álvares (PE); são documentários selecionados.

 

A ficção, bastante presente na Mostra, traz ao público do Festival de Brasília as obras “Ilha”, de Ary Rosa e Glenda Nicácio (BA); “Los Silencios”, de Beatriz Seigner (SP); “Luna”, de Cris Azzi (MG); “New Life S.A.”, de André Carvalheira  (DF) — que também concorre na Mostra Brasília; “A Sombra do Pai”, de Gabriela Amaral Almeida (SP); e “Temporada”, de André Novais Oliveira (MG).

 

Presidida por Eduardo Valente, diretor artístico do Festival, a comissão de seleção dos longas contou com quatro convidados, responsáveis pela escolha dos nove títulos que participam da Mostra Competitiva. Participaram a professora e pesquisadora Beatriz Furtado; a cineasta e coordenadora do FestUni Brasília Érika Bauer; o escritor e cineasta Erly Vieira Jr; e o crítico de cinema e curador Heitor Augusto.

 

Entre os curtas-metragens exibidos, figuram oito ficções, três documentários e uma animação. Dirigida por Nara Normande, a animação pernambucana “Guaxuma” é a única representante do gênero na mostra. Os documentários selecionados são “Liberdade”, de Pedro Nishi e Vinicius Silva (SP); “Sempre Verei Cores no seu Cinza”, de Anabela Roque (RJ); e “Conte Isso Àqueles que Dizem que Fomos Derrotados”, de Aiano Bemfica, Camila Bastos, Cristiano Araújo e Pedro Maia de Brito (PE).

 

A produção de Amanda Devulsky e Pedro B. Garcia (DF), “Aulas que matei”, está na lista de ficções. Junto a ela aparecem também “Boca de Loba”, de Bárbara Cabeça (CE); “BR3”, de Bruno Ribeiro (RJ); “Eu, Minha Mãe e Wallace”, dos Irmãos Carvalho (SP/RJ); “Kairo”, de Fabio Rodrigo (SP); “Mesmo com Tanta Agonia”, de Alice Andrade Drummond (SP); “Plano Controle”, de Juliana Antunes (MG); e “Reforma”, de Fábio Leal (PE).  A seleção dos curtas ficou à cargo da professora e pesquisadora Amaranta Cesar; da pesquisadora e curadora Janaína Oliveira; do programador e editor Leonardo Bonfim; e da produtora e curadora Thay Limeira.

 

Os concorrentes ao celebrado Troféu Candango receberão cachês de seleção distribuídos igualitariamente. Os longas-metragens selecionados recebem R$ 15.000,00 cada; os longas participantes de Sessão Especial Hour Concour recebem R$ 10.000,00, e os curtas-metragens ganham R$ 5.000,00. Além dos cachês de seleção, o melhor filme de longa-metragem escolhido pelo júri popular receberá o Prêmio Petrobras de Cinema, que consiste em R$ 200.000,00 em contratos de distribuição.

 

Confira a lista completa dos selecionados para a Mostra Competitiva do 51º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro:

 

Filmes de Longa-metragem

  1. Bixa Travesty, de Claudia Priscilla e Kiko Goifman (SP), documentário
  2. Bloqueio, de Quentin Delaroche e Victória Álvares (PE), documentário
  3. Ilha, de Ary Rosa e Glenda Nicácio (BA), ficção
  4. Los Silencios, de Beatriz Seigner (SP), ficção 
  5. Luna, de Cris Azzi (MG), ficção
  6. New Life S.a., de André Carvalheira (DF), ficção
  7. A Sombra do Pai, de Gabriela Amaral Almeida (SP), ficção
  8. Temporada, de André Novais Oliveira (MG), ficção
  9. Torre Das Donzelas, de Susanna Lira (RJ), documentário

 

Filmes de Curta-metragem

  1. Aulas que Matei, de Amanda Devulsky e Pedro B. Garcia (DF), ficção
  2. Boca de Loba, de Bárbara Cabeça (CE), ficção
  3. Br3, de Bruno Ribeiro (RJ), ficção
  4. Conte Isso Àqueles que Dizem que Fomos Derrotados, de Aiano Bemfica, Camila Bastos, Cristiano Araújo e Pedro Maia de Brito (PE/MG), documentário 
  5. Eu, Minha Mãe e Wallace, de Irmãos Carvalho (SP/RJ), ficção
  6. Guaxuma, de Nara Normande (PE), animação
  7. Kairo, de Fabio Rodrigo (SP), ficção
  8. Liberdade, de Pedro Nishi e Vinicius Silva (SP), documentário
  9. Mesmo com Tanta Agonia, de Alice Andrade Drummond (SP), ficção
  10. Plano Controle, de Juliana Antunes (MG), ficção
  11. Reforma, de Fábio Leal (PE), ficção
  12. Sempre Verei Cores no seu Cinza, de Anabela Roque (RJ), documentário

 

Confira as sinopses dos filmes selecionados:

 

Longas-metragens

 

A sombra do pai

Direção: Gabriela Amaral Almeida

Ficção, 90 min, 2018, SP, 16 anos

Elenco: Nina Medeiros, Julio Machado, Luciana Paes e Rafael Raposo

 

Quando uma criança é obrigada a virar o “adulto da casa” porque o pai está doente e a mãe, morta, há uma inversão na ordem natural das coisas. A infância se transforma em saga e a paternidade frustrada em condenação. Ambientado em um bairro proletário de São Paulo, o filme conta a história de um pai e uma filha que não conseguem se comunicar. Órfã de mãe e com apenas nove anos, Dalva vê o pai, o pedreiro Jorge, ser consumido pela tristeza após perder o melhor amigo no que aparenta ser mais um acidente de trabalho. Fã de filmes de terror, Dalva acredita ter poderes sobrenaturais e ser capaz de trazer sua mãe de volta à vida. À medida que Jorge se torna mais e mais ausente – e, eventualmente, perigoso –, resta a Dalva a esperança de que sim, sua mãe há de voltar.

 

 

Bixa Travesty

Direção: Claudia Priscilla e Kiko Goifman

Documentário, 75 min, 2018, SP, 14 anos

 

Um filme sobre a artista Linn da Quebrada, “bixa, louca, preta, favelada”, como ela canta em uma de suas músicas. Linn está pronta para desconstruir preconceitos e transgredir normas, utilizando sua música como arma contra o machismo e o conservadorismo de nossa sociedade. O corpo político da cantora é a força motriz desse documentário que revela a personagem em sua esfera pública e privada, ambas marcadas não só pela presença de palco, mas pela incessante luta pela desconstrução de estereótipos de gênero, classe e raça. O filme, construído a partir dos shows de Linn, imagens de arquivo e momentos mais intimistas, traz a dimensão de um universo que se atualiza a partir de um corpo que se transforma, um corpo político.

 

 

Bloqueio

Direção: Quentin Delaroche e Victória Álvares

Documentário, 75 min, 2018, PE/RJ, 12 anos

 

Maio de 2018. A cinco meses da eleição presidencial brasileira, o país está mergulhado em uma crise política e econômica. Nesta atmosfera de tensão social, caminhoneiros decidem fazer uma paralisação em busca de melhores condições de trabalho. Em meio às reivindicações da classe de trabalhadores, surgem cada vez mais vozes pedindo uma intervenção militar.

 

 

Los silencios

Direção: Beatriz Seigner

Ficção, 87 min, 2018, SP, livre

Elenco: Marleyda Soto, Enrique Diaz, María Paula Tabares Peña, Adolfo Savinvino

 

Núria, 12, e Fábio, nove anos, chegam de madrugada com a mãe, Amparo, 40, a uma ilha desconhecida, na fronteira entre Brasil, Colômbia e Peru. Estão fugindo dos conflitos armados na Colômbia e, ali, descobrem que seu pai, supostamente morto num deslizamento de terra de uma mineradora, se esconde em uma das casas de palafitas onde passam a morar. Com medo de trair esse segredo de família, Núria emudece, enquanto Fábio parece conviver com isso sem problema algum. Em meio a esse processo, a família tenta receber uma indenização pela morte do pai e obter um visto para fugirem para o Brasil. Ao encobrir essa história, descobrem mais sobre o passado da família, intrincados nos conflitos armados que duram mais de meio século na Colômbia. Aos poucos, descobrem que a ilha onde estão é povoada por fantasmas, que se unem para interferir no destino dos vivos.

 

 

Luna

Direção: Cris Azzi

Ficção, 90 min, 2018, MG, 16 anos

Elenco: Eduarda Fernandes, Ana Clara Ligeiro, Lira Ribas, Manu Maria, Hewrison Ken,

Paulo André, Matheus Soriedem, Guto Borges

 

Luana e Emilia se encontram no primeiro dia de aula do último ano escolar. A promessa de uma amizade intensa, divertida e explosiva é interrompida pelo vazamento de uma imagem de Luana nas redes sociais. A jovem entra em uma realidade opressiva, solitária e isolada. Ela escolhe ser audaciosa em resposta ao mundo ao seu redor.

 

 

New Life S/A

Direção: André Carvalheira

Ficção, 79 min, 2018, DF, 14 anos

Elenco: Renan Rovida e Wellington Abreu

 

Augusto é um jovem arquiteto bem-sucedido à procura de um sentido para sua vida, acreditando que sua arquitetura irá transformar o mundo e as relações entre os indivíduos e a sociedade.

 

 

Temporada

Direção: André Novais Oliveira

Ficção, 113 min, 2018, MG

Elenco: Grace Passô, Rejane Faria, Sinara Teles, Ju Abreu, Janderlane Souza, Dircinha

Macêdo, Maria José Novais Oliveira, Russo APR, Hélio Ricardo, Renato Novaes

 

Juliana está se mudando de Itaúna, no interior do estado, para a periferia de Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte, para trabalhar no combate a endemias na região. Em seu novo trabalho, ela conhece pessoas e vive situações pouco usuais que começam a mudar sua vida. Ao mesmo tempo, ela enfrenta as dificuldades no relacionamento com seu marido, que também está prestes a se mudar para a cidade grande.

 

 

Torre das Donzelas

Direção: Susanna Lira

Documentário, 97 min, 2018, RJ

 

Há desejos que nem a prisão e nem a tortura inibem: liberdade e justiça. Há razões que nos mantém íntegros mesmo em situações extremas de dor e humilhação: a amizade e a solidariedade. Torre das Donzelas traz relatos inéditos e surpreendentes da ex-presidente Dilma Rousseff e de suas ex-companheiras de cela do Presídio Tiradentes em São Paulo. Elas estiveram presas juntas na década de 70 na Torre das Donzelas, como era chamado o conjunto de celas femininas do presídio. O filme remonta, a partir de fragmentos de lembranças de cada uma delas, uma instalação semelhante ao espaço do cárcere onde estiveram presas. Nesse cenário elas se reencontram 45 anos depois para romper com o silêncio e o medo de relatar os horrores de viver sob uma ditadura. Torre das donzelas é um exercício coletivo de memória feito por mulheres que acreditam que resistir ainda é o único modo de se manter livre. O filme que se aventura pelo campo experimental do documentário de reinvenção, tomando como referência algumas ferramentas do psicodrama, articuladas num jogo de reconstrução cênica com o apoio de uma instalação de arte semelhante ao ambiente da prisão. A partir de desenhos feitos por cada uma delas e nenhum parecido com o outro, o filme cria um campo de subjetividade ao erguer um espaço cinematográfico em que silêncios, pausas e reticências são tão importantes quanto as palavras.

 

 

Curtas-metragens

 

Aulas que matei

Direção: Amanda Devulsky e Pedro B Garcia

Ficção, 24 min, 2018, DF, 12 anos

Elenco: Beatriz Santos Sousa, Indiara Castro, Juliana Plasmo, Patrícia Barros, Luiz Guilherme Lopes, Marcus Curvelo, Alex Alves, Januário Junior, Bianca Yslana, Kaira Lorrane, Herica Magna, Alefe Pinheiro, Lúcio Campelo, Elder de Paula e Raphael Dorsa

 

Mais um dia de aula. Nem todos conseguem chegar. Mais um dia de aula. Nem todos conseguem chegar. Mais um dia de aula. Nem todos conseguem chegar.

 

 

Boca de loba

Direção: Bárbara Cabeça

Ficção, 19 min, 2018, CE, 12 anos

Elenco: Bianca Gois, Dhiovana Barroso Dhiôw, Fernanda Brasileiro, Heloíse Sá, Mariana

Nascimento, Tatiana Valente e Tayana Tavares

 

Pressões assediadoras das ruas. E um grupo de mulheres procura pela invocação de um espírito selvagem urbano.

 

 

BR3

Direção: Bruno Ribeiro

Ficção, 23 min, 2018, RJ, 14 anos

Elenco: Dandara Vital, Kastelany Silva, Luciana Vasconcellos, Mia Divva, Johi Farias,

Kamyla Galdeano e Leona Kalí

 

Kastelany chega na casa da Luciana. Mia se prepara para sair à noite com suas amigas. Dandara transa com Johi pela primeira vez.

 

 

Eu, minha mãe e Wallace

Direção: Irmãos Carvalho

Ficção, 23 min, 2018, RJ, livre

Elenco: Noemia Oliveira, Fabrício Boliveira, Sophia Rocha e Robson Santos

 

A história de uma fotografia: uma mãe solteira, um pai ausente e uma criança.

 

 

Guaxuma

Direção: Nara Normande

Animação, 14 min, 2018, PE, livre

 

Eu e Tayra crescemos juntas na praia de Guaxuma. A gente era inseparável. O sopro do mar me traz boas lembranças.

 

 

Kairo

Direção: Fabio Rodrigo

Ficção, 15 min, 2018, SP, 12 anos

Elenco: Vanessa Oliveira, Pedro Guilherme, Fernanda Viacava e Samuel de Assis

 

Em uma escola na periferia de São Paulo, a assistente social Sônia precisa retirar o garoto Kairo, de nove anos, da sala de aula para ter uma conversa difícil.

 

 

Liberdade

Direção: Pedro Nishi e Vinicius Silva

Documentário, 25 min, 2018, SP, livre

Elenco: Cristina Sano, Aboubacar Sidibe e Mamadou Yaya Sow

 

Abou é um artista guineense que vive com outros imigrantes africanos em uma pensão no bairro da Liberdade em São Paulo. Entre eles, vive Satsuke, uma mulher japonesa misteriosa que parece estar na casa a muitas décadas. Sow, um jovem guineense, está tentando chegar na casa para começar uma vida no Brasil, mas fica preso na imigração no aeroporto. Vidas estrangeiras habitam o bairro da Liberdade, um lugar de passado sombrio.

 

 

Mesmo com tanta agonia

Direção: Alice Andrade Drummond

Ficção, 20 min, 2018, MG, 10 anos

Elenco: Maria Leite, Preta Ferreira, Rillary Rihanna Guedes, Rogério Bandeira, Olanias Silva

 

É aniversário da filha de Maria. No trajeto do trabalho para a festa, ela fica presa no trem, em função de uma pessoa caída acidentalmente sob os trilhos.

 

 

Plano controle

Direção: Juliana Antunes

Ficção, 16 min, 2018, MG, 12 anos

Elenco: Marcela Santos, Uirá dos Reis, Katia Aracelle e Christian Bravo

 

Marcela quer conhecer o mundo, mas o serviço de teletransporte oferecido por sua operadora tem dados limitados.

 

 

Reforma

Direção: Fábio Leal

Ficção, 15 min, 2018, PE, 16 anos

Elenco: Fábio Leal, Mariah Teixeira, Paulo César Freire, Everton Frederic Hermany e

Lucas Muniz

Saindo com um rapaz diferente a cada dia, Francisco revela à amiga Flávia que está insatisfeito com seu corpo gordo. Ela o ouve, mas tem dificuldade para entender a dimensão do problema do amigo.

 

 

Sempre verei cores no seu cinza

Direção: Anabela Roque

Documentário, 18 min, 2018, RJ, livre

 

No Brasil, a continuidade da universidade pública estadual está em risco. Desde 2015, a UERJ – Universidade do Estado do Rio de Janeiro – vive uma situação de precarização que só tem se agudizado. Estudantes, professores e funcionários que se recusam a aceitar a situação se organizam para resistir e reivindicar. Entre os protagonistas dessa luta está a estudante de arte Matheusa Passareli, ativista LGBTQ, brutalmente assassinada em abril de 2018, no Rio de Janeiro.

 

Serviço

Festival de Brasília do Cinema Brasileiro – 51ª edição

Quando: 14 a 23 de setembro de 2018

Confira a programação completa no site: http://www.festivaldebrasilia.com.br/

 

Contatos para a Imprensa

Um Nome Produção e Comunicação

umnomecomunicacao@gmail.com

Guilherme Tavares + 55 61 992185001

Amanda Bittar + 55 61 99553-0353

Beatriz Queiroz + 55 61 98170-4254